quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Dualismo

A cada noite

Um sussurro seu

As estrelas pregadas no céu
Prestes a
Desmancharem-se
Diante da escuridão
De cada um
Que é

Fechando os olhos

Não te vejo

Todas as estrelas apagaram-se
Nem dentro de mim
Nem no céu
Não há nenhum ponto
Brilhante
Acabou

Nenhum comentário:

Postar um comentário