sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Sobre o correr dos ponteiros

A vida segue

De risadas ou pranto
A vida segue

Aliviando ou doendo cada vez mais
A vida segue

Se for só ou se sorrir junto
Se o coração bate forte
E explode o peito

A vida segue

Ora, se chove
Se é noite
Se é dia
Se a folha nasce ou se a flor morre

A vida segue

Com ou sem você

A vida segue

Se eu lembro dos teus olhos
Se me culpo
Ou se te esqueço

A vida segue

Se eu estiver ou não aqui
Ou você
Ou qualquer um

Se a pétala for rude ou delicada
A vida segue

Se o senhor diz
E a renda fina e frágil
Se desfaz e desmancha
Em mãos rudes

A vida segue

Veja só, o pássaro voa
E a vida segue

A borboleta, presa em sua transformação, rejeita sua própria forma

E voa

Então
Num dia de chuva, ela morre

E todos os sóis
E toda o bater de asas
E toda a beleza
Morre

Morre

E ninguém sente
(e o mundo todo chora)

E a vida segue...

Nenhum comentário:

Postar um comentário