domingo, 1 de maio de 2016

Domingo, dia que inicia qualquer coisa, enquanto eu continuo acabando.
O que é o fim? Acho que já passei dele e esqueceram de me recolher.
Estou cansada. Cansada da vida toda desde a vida toda.
Não é culpa tua, nem minha, nem de ninguém.
Não há culpados
Nem inocentes

Eu não me deixo em paz
eu não me sinto bem

Eu quero ir embora
Pra onde?

Não tenho pra onde ir
Não tenho onde ficar

O fim já foi, eu sou morta-viva
Não sei nem mais falar
Nem mais brigar

É o desgaste de todo dia, como uma porta rangendo por dentro, como os dentes se raspando até que todos os ossos sintam dor, mas nem a dor faz sentido.

Nada faz sentido.
Eu não sei como findar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário