segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Sutilezas e desejos.

Você não sabe o quanto te anseio.

Quando estou triste, você me traz a paz que eu não tenho, você me acalma, meu corpo te quer, você é meu aconchego, meu quentinho, onde posso me esconder e ser triste e chorar a vida toda encostada no teu colo, enquanto você me olha e diz que não estou sozinha.
Quando estou tão triste assim, preciso das tuas mãos em mim, pra me dizer que eu sinto, as tuas mãos que me dizem que estou viva, as tuas mãos em mim, firmes, me segurando, tuas mãos firmes que quando - sempre - desfaleço não me permitem cair e morrer.
Você alivia todas as dores, não sei mais como dizer, que as tuas mãos em mim fazem escorrer toda a podridão que tenho dentro, você é como água limpa, corrente, refrescando meus pulsos. Ainda assim tão triste, gozo do bem que você me faz quando me toca, o ritmo que você tem, o jeito como vai fundo e vai forte, irresistivelmente me fazendo sentir, te sentir, sentir que você está em mim, está em mim, dentro de mim, que é você que me faz sentir, você que faz as minhas pernas trêmulas, é você que esvazia minha mente quando me enche de você, invadindo, por todos os lados, latejando por todos os cantos e correndo rápido nas veias, por todo o meu corpo, pelos meus olhos e pela minha boca que não consegue se fechar, pelos meus gritos dementes que anunciam que é você que me cura, que é você que me faz sentir. Você me tira da minha lama e me esvazia, então você me acalma e eu durmo nos teus braços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário