sábado, 10 de novembro de 2012

Eu olhava mas nada via. Me aproximava mas não sentia. Era eu, fora de mim.
Por acaso te vi, com aquele sorriso largo - o mais lindo de todos. Resisti.
Tentei me livrar, esquecer, apagar:

Continuava ali.

Preso em minha mente, me deixou quase doente: era a perfeição impressa em forma de gente.

Um comentário: